29 de mar de 2014

Capitulo Dois. — Little Angel.

 

(...)

Por Demetria.
Eu já estava de pé ás oito horas da manhã. No internato, dormíamos cedo para acordar cedo. Tínhamos muitas tarefas á fazer. Todas as manhãs passeávamos pelo enorme jardim da propriedade, com o intuito de pegar um pouco de sol. Tomei um banho longo e aproveitei para dar uma olhada nos livros que Hemily tinha posto em minha estante, logo depois.
— Senhorita Demetria. — Uma voz feminina soou do lado de fora do meu quarto. Fechei o livro que estava folheando e o coloquei de volta na estante. —
— Ér... Olá. — Falei sem jeito, logo que abri a porta e encarei uma mulher vestida num uniforme de empregada. —
— O café já está na mesa. Estão todos esperando a senhorita. — A mulher morena sorriu e saiu antes que eu pudesse falar algo. —
Respirei fundo e coloquei um casaco de renda por cima da blusa branca de mangas curtas que eu usava. Contei de um á dez quando desci as escadas. Ao adentrar á sala de jantar, vi meu tio, Hemily e Nicholas sentados á mesa. Faltava eu e Joseph. Percebi que eles eram o tipo de família que realizavam suas refeições todos juntos. Faziam jus á uma família perfeita. Perfeita até demais, pensei enquanto sorria sem mostrar os dentes.
— Bom dia minha querida. — Alexander disse sem tirar os olhos do jornal. —
— Bom dia. — Apenas respondi me juntando á eles. Sentei-me ao lado de Hemily, que sorriu com tal ato. —
— Dormiu bem, Demetria? — Indagou, enquanto olhava para mim sorrindo. —
— Feito um anjo. — Respondi. Queria cultivar uma amizade com Hemily. Ela era simpática e agradável, seria uma ótima amiga para pedir conselhos e dividir segredos. Hemily sorriu satisfeita com a minha resposta. —
— Cadê Joseph? — Alexander dobrou o jornal bruscamente o colocando em cima da mesa. Ele estava com cara de poucos amigos. —
— Estou aqui. — Joseph estava atrás dele. Meio atrapalhado, abotoava os botões de uma camisa que parecia um uniforme escolar. — Bom dia.
— Bom dia. — Respondemos em uníssono. Menos Alexander, que ainda estava carrancudo. —
— Por que demorou? — Alexander indagou diretamente. —
— Só foram alguns minutos. — Joseph rolou os olhos enquanto se sentava ao lado de Nick, á minha frente. — Tive problemas para achar minha camisa. Apenas isso. Satisfeito?
Bom, a família já estava mostrando seus defeitos. A perfeição nem era tão perfeita assim.
— Não repita isso mais, entendeu? — O meu tio estava furioso com um misero atraso de minutos. Estava começando a ficar constrangida. —
Joseph não lhe deu atenção. Olhou para sua mãe e aí sim pareceu me notar de verdade. Sorriu de lado e me cumprimentou com o olhar.
~

Por Joseph.
            Eu ri internamente quando minha mãe começou a tagarelar no ouvido de Demi. As duas iriam fazer compras. Mamãe estava em êxtase por ter uma garota em nossa casa. Se Demetria estava constrangida com tanto mimo, imagine quando mamãe obrigá-la á vestir inúmeras peças de roupas caríssimas. Queria estar lá para ver, mas infelizmente, as aulas retornariam novamente, no horário normal.
            Joguei a mochila nas costas e enterrei minhas mãos no bolso da calça do uniforme. Observei Nick. Ele parecia observar algo fixamente, distraído. Segui seu olhar e um fraco sorriso esboçou-se em meu rosto ao perceber que ele encarava Miley Madison, filha do diretor, sentada num dos bancos da pequena pracinha interna que havia na escola.
— Vai lá falar com ela. — O encorajei e ele sobressaltou-se assustado. Ri com seu ato e ele entristeceu-se rapidamente. —
— Ela não fala com ninguém da escola. — Ele suspirou. Estava tímido. — Já tentei falar com ela, mas ela me evita sempre.
— Por que não tenta ir devagar? Quem sabe oferecer um livro de Shakespeare, coisa e tal. — Aconselhei. Ele rolou os olhos. —
— Isso é caretice. — Resmungou. —
— Por isso que ela não liga para você. — Alfinetei. — Ela já falou comigo algumas vezes. Descobri que ela gosta de Shakespeare. É uma garota muito inteligente e culta. Não combina com você.
            Nick estava pronto para revidar a minha informação, porém, eu saí dali em passos largos e rápidos. Minha sala era a última do terceiro andar do prédio e eu estava alguns minutos atrasado.
— Senhor Ross. — Jane sorriu debochadamente para mim. Ela lecionava história inglesa e não suportava sequer um minuto de atraso. —
— Senhora Jane, tive alguns problemas com meu pai. — Menti e ela pareceu acreditar. —
— Entre e se sente. Não quero ouvir sua voz, entendeu? — A mulher rabugenta fez cara feia e voltou a explicar o assunto. —
— Sempre assim, não é, Joseph? — Ashley Campbell sussurrou em meu ouvido. —
Ash era minha colega de classe. Sentava uma carteira atrás de mim e vivia riscando minha nuca com caneta rosa de cheiro, fazendo desenhos sem nexo. Eu ri discretamente e abri o caderno na matéria de história.

Por Demetria.
Olhei-me no espelho encarando o vestido laranja com estampas de florzinhas. Até que ficara bonito em mim, embora eu achasse estranho. Roupas de cores vivas como as que Hemily me mostrava não eram permitidas no internato. Usávamos cores fracas e as roupas eram sempre comportadas.
Hemily bateu palmas quanto me viu sair do provador. Ela me fez dar uma ‘giradinha’ umas cinco vezes. Era percebível sua animação. Eu me sentia feliz só por vê-la animada, mas isso não anulava o fato de que eu ficava constrangida quando ela fazia questão de comprar tudo o que via pela frente pra mim.
— É sério, Hemy. — Falei sincera. — Não precisa levar todas e...
— Nada disso querida! — Ela repreendeu. — Vamos levar todas sim. Ficaram perfeitas em você, será um desperdício não levar.
            Virou-se para a mulher que estava no caixa rindo discretamente e disse sorrindo:
— Empacote todas por favor.

Por Alexander.
            Maxine Hard encarou-me com um olhar um tanto maldoso enquanto segurava a foto da minha querida sobrinha Demetria. Pelo seu olhar, poderia ler sua mente; ele iria tirar proveito dela. Tirar uma casquinha. Não era a toa que Tommy a chamava de anjinho quando um bebê; ela realmente virara um anjo. Tinha uma beleza um tanto angelical e isso me assustou quando a vi.
— Acho que alguém vai se aproximar dessa belezinha. — Max mordeu o lábio. —
— Não vá traçar minha sobrinha de primeira. — Falei num falso tom de repreensão. — Ela é inocente.
— Pode deixar, senhor Ross. — Maxine guardou a foto dela no bolso do paletó azul marinho que usava e olhou-me. — Eu vou devagar. Nunca costumo ir com muita sede ao pote. Gosto das coisas indo lentamente.
            Rolei os olhos e joguei o jornal do dia em cima dele.
— Melhor você ir trabalhar, Maxine. — Alertei. — Ficar sentado aí não vai dar dinheiro no final do mês.
            Ele rolou os olhos e saiu do meu escritório. Eu sentei-me em minha poltrona de couro preto acolchoada e abri a ultima gaveta da minha mesa, retirando um álbum de fotografias. Ao abrir vi a foto de um bebê gordinho de olhos castanhos. O cabelo aparentemente fino preso á uma borrachinha roxa. Toquei a foto com o dedo indicador. Sorri. Ela sempre fora lindinha. Eu deveria vê-la como uma filha, mas não conseguia. Era muito mais forte do que eu.
{...}

Por Miley.
            “Toc, Toc.” Ouvi a voz da minha mãe de trás da porta. Sorri e murmurei um entre. Ela adentrou ao meu quarto lentamente e cuidadosamente. Deu um sorriso de canto ao me ver sentada na cama rodeada de livros.
— Querida, está estudando para quê? — Indagou sentando-se ao meu lado. —
— História e vou estudar Biologia logo depois. — Respondi. —
            Ela assentiu quieta e levantou-se novamente. Arrodeou o outro lado da cama e pegou um dos meus romances que estavam em cima do criado-mudo. Leu o titulo baixinho e depois o pousou lá calmamente.
— Miley, amor, já passou da hora de você fazer amigos. — Disse cruzando os braços e ficando á minha frente. —
— Você sempre diz isso. — Eu rolei os olhos e consertei meus óculos. — Não vamos discutir sobre esse assunto de novo não é?
— Não quero discutir com você. — Ela pronunciou tranquilamente. — Só acho que você precisa conhecer pessoas. Vive solitária lendo esses livros e fica trancada nesse quarto.
— Eu gosto de viver assim. — Comentei. — Não preciso conhecer pessoas que sabem que sou filha do diretor da melhor escola de Londres. Eu não quero que me tratem melhor só porque meu pai é o que é. Antes só do que mal acompanhada.

Por Joseph.
            Ashley tornou a gargalhar furiosamente enquanto caminhávamos em direção a sua casa nas ruas movimentadas de Londres. As pessoas nos olhavam como se fossemos debilóides. Ela bateu no meu braço fracamente e tornou a rir.
— Sério Joseph. — Ela começou. Rindo. — Você deveria ser comediante.
— Ser engraçado é só mais um dos meus charmes. — Pisquei sorrindo de canto. —
            Ela parou de rir e caminhamos mais alguns metros até chegarmos a sua casa. Ela escorou-se no portão olhando para mim de um jeito diferente. Joguei os ombros para trás enterrando minhas mãos no bolso da calça.
— Ér... Amanhã eu vou a sua casa, está bem? — Ela disse se aproximando de mim. —
— Oh claro. Vou pegar os livros de História na biblioteca do meu pai. — Falei sorrindo fraco. — Então, é isso, tcha...
            Fui interrompido pelos seus lábios frios tocando os meus e olhei-a confuso. Ainda bem que seus olhos estavam fechados, porque se tivessem abertos iriam perceber a tamanha confusão em meu olhar. Ela se afastou delicadamente. Aparentemente ela não estava nem notando meu olhar. Sorri forçado. Ela olhou-me timidamente e sorriu.
— Tchau Joe. — Disse. —
— Tchau Ashley. — Sussurrei. —


            Ela mordeu o lábio e virou as costas abrindo o portão de sua casa. Virei-me e me pus a caminhar em direção á minha. Eu já sabia que isso iria acontecer. Só não sabia o que fazer.

**

iae meninas <3
desculpem a demora, é que eu estava em semana de provas e tal. A propósito, fui super mal na prova de física e então se eu demorar é porque estou estudando ainda mais para essa matéria. Estão gostando dessa fic? Respondammm, por favor! <3
Por hoje é só. Beijão, :*

5 comentários:

  1. estou amando u.u
    tá perfeito
    posta logoo sua linda
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Esta Perfeita *---*
    Tambem fui mal na prova de fisica. Odeio a professora.

    ResponderExcluir
  3. Quero mais, adorei
    Fabíola Barboza

    ResponderExcluir
  4. aHHHHHHH Que top kkkkk Muito fofa a Hemily :))) Omg que vadio do Max, estou com medo do que ele possa fazer kkkkkk To amando a fic, posta logo viu moça....
    Beijos Nathy

    ResponderExcluir
  5. Aaaah, eu tô amando, cadê o rsto? Eu preciso de mais!
    Essa fic é muito oxigênio, eu tô amando, scrr
    Posta logo, pfvr
    Beijos

    ResponderExcluir

Gostou da fanfic? Comente, porfaa <3